Mais sobre mim

Pesquisar no blog

 

Outubro 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Últimos Posts

O que é mais importante p...

“Toda a situação tem uma ...

IVA a 25? Não, obrigado!

Um fantasma chamado Matem...

Ibéria... un nuevo mundo ...

Introdução:

Arquivo

Outubro 2007

Julho 2007

Links

Visitas

blogs SAPO

Subscrever feeds

Segunda-feira, 16 de Julho de 2007

Ibéria... un nuevo mundo para descubrir

Não sei bem porquê, mas nunca gostei de José Saramago: nem da pessoa (apesar de não o conhecer propriamente bem), nem da sua obra (apesar de nunca ter lido qualquer livro da sua autoria). Na realidade, são aquelas conclusões que se tiram pelo que se ouve falar e pela cara de tão aclamado escritor. Ainda assim, hoje tenho mais um motivo para estar “contra” este senhor e discordar de uma opinião que Saramago deixou numa entrevista publicada no Diário de Notícias e noticiada na versão online do jornal Sol.
Segundo este senhor, que vive há 14 anos em Espanha, numa ilha de nome Lanzarote, Portugal não deveria ser um país mas sim mais uma província espanhola, mantendo o seu parlamento tal como acontece em Andaluzia ou na Catalunha, por exemplo. Posta esta situação, o nome do único país ibérico seria Ibéria caso “Espanha ofendesse os nossos brios”.
José Saramago acredita que «não é uma cedência nem acabar com um país, continuaria de outra maneira. (...) Não se deixaria de falar, de pensar e sentir em português». Mas, se o prémio Nobel português acredita, eu não acredito…
De facto não é a primeira vez que me deparo com uma opinião parecida com esta, principalmente quando se vive numa zona fronteiriça como Marvão, mas é preocupante saber que os portugueses acreditam num “país de maravilhas” chamado Espanha.
O país vizinho não é um mar de rosas, se fosse não haveriam tentativas de conseguir a independência de uma das suas províncias por parte de uma tal de ETA… “Ah… isso são uns maluquinhos, uns terroristas que só querem estragar o que está feito e acabar com a vida das pessoas.” Claro que são, mas se é assim é porque algo não está bem é porque nem tudo é tão bom quanto parece. “Ah… mas se o Saramago diz, é porque está para lá a viver bem”. Óbvio que vive bem… tem boas razões para isso ($).
Espanha tem tantos ou até mais problemas que Portugal, não me imagino a pensar este post em português e em castelhano porque apesar de não deixarmos de falar em português, certamente tivéssemos de também falar espanhol e mesmo já sabendo fazer isso, não contem comigo para ver Portugal como uma província, depois de tantos anos de luta para conseguir a independência deste território. Este sim é um caso para que a História venha ao cimo…
Sinceramente, não tenho problemas com os espanhóis, já convivi com muitos e todos eles eram pessoas excelentes, mas gosto mais assim, para quê inventar quando as coisas podem ficar com estão?!
Portugal, «com dez milhões de habitantes», teria «tudo a ganhar em desenvolvimento» se houvesse uma «integração territorial, administrativa e estrutural» com Espanha. Teria? Não sei se sim, mas de uma coisa tenho a certeza: prefiro este país com os seus actuais problemas do que esta província com os problemas dos outros.
Talvez um dia José Saramago e muitos outros vejam o seu desejo cumprido, só espero que seja daqui a umas boas centenas de anos, para ter a certeza que não me chamam de parvo se por acaso este comentário deixar de fazer sentido.
Publicado por Bruno Anacleto às 16:47

Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
|
2 comentários:
De JOSE a 29 de Julho de 2007 às 10:52
Mexclar ETA con este tema es demagogico, muchos paises sufren problemas de terrorismo. Que algo no va bien porque lo hay? claro, no va bien que exista el terrorismo, o es que es culpa de los españoles que exista ETA? Por otra parte comentarte que cai nadie en España se plantea esto, así que por tratar este tema que tanto te molesta, no hace falta criticar o decir cosas inexactas de España. Estamos los 2 paises muy bien como estamo aunque sería mejor mas respeto.
De Bruno Anacleto a 29 de Julho de 2007 às 16:55
El principal problema que veo en todo esto, no es propiamente España o Portugal, o los problemas de cada país, es la forma come a José Saramago se coloca Portugal ante un "proyecto" nombrada Iberia.

Quizá no haya colocado las cosas de esta forma en el texto, pero no estoy en desacuerdo Portugal y España toman importantes decisiones conjuntamente, no estoy contra una "unión de culturas" (sería una forma conocer mejor los Españoles y les Españoles conocieren mejor los Portugueses, teniendo más respeto entre las dos partes). Estoy si en desacuerdo con la idea de Portugal convertirse en una "provincia", como hay referido Saramago.

En el fondo éste es un tema que tomaría mucho tiempo a discutirse, visto que tanto tiene grandes ventajas y también tiene grandes desventajas.
Para terminar, me gustaría agradecer su visita. Es muy bueno para mí saber que mío blog comienza a ser visitado, y por personas de nuestro país vecino. Gracias y espero que vuelve a más veces a esto espacio.

(Disculpe, si mío Español no hay sido el mejor) Saludaciones
Bruno Anacleto

Comentar post